Vereador de Igarapava Enterrou R$ 1,5 milhão no quintal | Rádio Paulista FM 87,5 MHz

Vereador de Igarapava Enterrou R$ 1,5 milhão no quintal

Curta e Siga Paulista FM
0

Quantia enterrada no quintal de ex-vereador preso em Igarapava, SP, chega a R$ 1,5 milhão, diz MP
Cédulas achadas nesta segunda-feira (17) foram levadas a um banco para a contagem. Mulher do ex-parlamentar, que estava no imóvel durante a apreensão, teve a prisão preventiva decretada.

Chega a R$ 1.545.939,85 a quantia encontrada enterrada, nesta segunda-feira (17), no quintal da casa do ex-vereador José Eurípedes de Souza, em Igarapava (SP). Segundo o Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), a mulher dele, Guejane Emília Flausino, que estava no imóvel no momento da apreensão, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça.

A advogada Maria Cláudia Seixas, que representa o casal, não comentou o assunto.

De acordo com o Ministério Público, um mandado de busca e apreensão foi cumprido diante de descobertas feitas pela investigação após a primeira fase da Operação Agio, deflagrada no início de dezembro.

O dinheiro estava armazenado em sacos plásticos, caixas de papelão e caixas térmicas, enterrados nos fundos do imóvel da família. As cédulas, guardadas em montes, foram levadas a uma agência bancária para a contagem. A princípio, a polícia chegou a afirmar que o montante seria de R$ 107 mil, mas o valor foi atualizado. Foram necessárias seis horas para saber quanto estava escondido na casa.

Dinheiro que estava enterrado foi levado ao banco para contagem em Igarapava, SP — Foto: Reprodução/EPTV

cedulas
A mulher do ex-vereador foi presa por suspeita de lavagem de dinheiro. Souza está preso desde o dia 6 de dezembro, por suspeita de usura e lavagem de dinheiro. Na semana passada, a Justiça prorrogou o prazo da prisão temporária dele.

Segundo o Gaeco, o ex-vereador é suspeito de obter vantagens ao realizar empréstimos com juros abusivos aos moradores. A investigação concluiu ainda que Souza utilizava empresas de familiares e amigos para lavar o dinheiro ilícito, principalmente, “lojas de R$ 1” na região de Igarapava e em cidades mineiras. Além da mulher, um irmão de Souza é alvo de investigação.

Em 2015, o ex-vereador foi condenado por envolvimento em esquema descoberto seis anos antes e que ficou conhecido como “mensalinho de Igarapava”, em que parlamentares cobravam propina para facilitar a aprovação de projetos do Executivo na Câmara Municipal.

O ex-vereador recebeu pena de cinco anos, oito meses e 12 doze dias de prisão, e obteve o direito de recorrer da sentença em liberdade. Em março deste ano, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) reduziu a pena para dois anos e oito meses de reclusão, em regime semiaberto.

mulher-vereador

A mulher do ex-vereador, Guejane Emília Flausino, presa em Igarapava, SP — Foto: Reprodução/EPTV

Share This:

Share This:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *